Tags

, , , , , ,

27 de Julho de 2017 

artigo

Há cerca de um mês, Ana Maria Braga assinou um texto comentando sobre sua atuação na internet em relação a sua profissão. Desta forma, evidenciou que o figurino, temas e convidados do programa – um dos mais antigos e populares da televisão brasileira – são pautados nas tendências e assuntos mais comentados nas redes sociais. O Mais Você, que antes agradava majoritariamente as vovós e donas de casa, agora se aproxima ativamente do público jovem, com uma forte estratégia digital.

No final de maio, a internet foi invadida por memes e demais brincadeiras com o novo cabelo de Ana Maria. O volume de piadas na rede pautaram diversas matérias na imprensa, que tiveram gigante compartilhamento.

Com uma rapidez impressionante, poucos dias depois, Supla abriu o programa Mais Você, substituindo Ana e dando ao público o tradicional “Acorda menina!”.

Durante o programa, Ana Maria e Supla abriram comentários da internet e se divertiram com a criatividade do público.  “Por que virou “IN” assistir a Ana Maria Braga?” foi publicado no mesmo dia pela apresentadora, poucas horas depois, explanando justamente a importância de se atualizar para não ficar para trás. Os meios mudam, mas os profissionais devem se adaptar:

“A única coisa que eu posso dizer é que o show sempre tem que continuar. Enquanto tem música, dance. Pode mudar o ritmo, a estrofe, e até o cantor. Mas uma coisa é certa – quem se recusa a acompanhar a evolução dos tempos, acaba se entupindo de nostalgia. Engolido pelas próprias raízes.”

Ao se aproveitar desta oportunidade criada a partir das conversas nas redes sociais, instantaneamente o programa alcançou alta exposição na mídia, garantindo ao Mais Você um lugar entre os assuntos mais comentados do Twitter, com efeito dominó perceptível também em outras plataformas. No Google, o volume de buscas pelo termo Supla alcançou seu pico máximo em proporções astronômicas, com aumento de mais de 5.000% em relação ao último período. O segundo maior ponto dos últimos 12 meses foi, justamente, quando as primeiras piadas e memes com o cabelo começaram a surgir na internet.

Oportunidade cabeluda para empresas e negócios

Um dos principais desafios dos profissionais de Comunicação e Marketing atualmente é agir com rapidez em relação a oportunidades, facilmente mensuradas no ambiente da internet – e que rapidamente ficam “vencidas” em meio a tantas informações. Surfando nesta mesma onda, a operadora de cartões VISA produziu um comercial cuja narrativa explora justamente a semelhança tão comentada na internet. O conteúdo, claro, acabou viralizando nas mesmas (poderosas) plataformas em que o diálogo começou, tornando-se, novamente, um dos assuntos mais comentados em toda a rede.

“A Visa usa esse recurso em situações específicas e em oportunidades que identifica” disse Rodrigo Bochicchio, diretor de marketing da Visa, em entrevista para o Blog Content_Lab, da Uol. “Pela perspectiva do consumidor não há apenas uma única plataforma. Na perspectiva do consumidor, as coisas se misturam. E tudo o que a gente tem desenvolvido nos últimos anos busca criar sinergia entre os meios de forma que não exista essa divisão”, conclui.

Essa mesma tendência se espelha não apenas para a televisão e marcas, mas também para outros segmentos que lidam com o grande público. Outro exemplo recente deste tráfego de insights entre internet e outros meios é a participação de Gretchen no clipe da cantora americana Katy Perry.

Dos memes para o mundo

A participação de Gretchen estrelando o lyric vídeo de Swish Swish, música de Katy Perry com Nicki Minaj, foi anunciada no início do mês de julho, gerando um grande alvoroço nas redes sociais e veículos de mídia nacionais e internacionais como BillboardRollingStone Mashable.

Gretchen, dona do rosto conhecidíssimo em todas as redes sociais por conta de seu protagonismo em GIFs animados e outros formatos de meme, tem um exército de admiradores, público que tende a consumir seus conteúdos – e que se dedicam à produção de novas imagens utilizando, em sua maioria, situações cotidianas ilustradas com as caras e bocas da cantora.

Tamanha repercussão chegou à outros países: em março deste ano, a rapper Nicki Minaj publicou em seu twitter uma inusitada pergunta aos seus seguidores, querendo saber quem era a moça do meme que estava em cada GIF que ela viu nos últimos seis meses. A resposta: uma enxurrada de respostas com a foto da cantora, apelidando-a de “rainha da internet”.

Novamente, neste caso, vemos a importância do timing e do senso de oportunidade, com a criação de um conteúdo da rede e para a rede. Pouco tempo depois, Gretchen estrelou o lyric video do novo single lançado por Katy Perry. A produtora contou com a enorme popularidade da misteriosa moça dos memes na internet, sabendo que esta mesma audiência consumiria o vídeo estrelando a brasileira – e que, em adição a isto, seria combustível para a criação de novos conteúdos espontâneos pela rede.

Parece que deu certo.

 No Mundo:

  •  Swish Swish tornou-se o lyric video mais visto de uma cantora na plataforma do VEVO em apenas 24 horas. Somado, seu tempo de exibição ultrapassa 110 anos.

No Brasil:

  • O volume de buscas pelo termo Katy Perry aumentou 900%
  • O volume de buscas pelas novas músicas da cantora (além do single Swish Swish) aumentou mais de 5.000%
  • O termo Gretchen é mais buscado do que Katy Perry, e aparece relacionado aos tópicos Internet Meme (aumento de 750%) e GIF File Format (200%)

Com uma forte estratégia digital, Katy também anunciou o concurso de dança #SwishSwishChallenge. O público deve produzir e publicar vídeos nas redes sociais dançando a nova música com a hashtag do concurso, competindo para participar do clipe oficial junto com a cantora. A ação, apesar de simples, está prolongando a “vida útil” da música como tópico na internet por ainda mais tempo.

O que estes dois casos têm em comum?

A internet é um mundo a parte, com seus próprios temas, canais, linguagem, formatos, objetivos, protagonistas e vozes. A rede não é mais apenas um “depósito” de vídeos ou notícias veiculados em meio offline, como em seus primórdios. A internet é uma das peças centrais para produção, consumo e promoção de conteúdo em todas suas fases, desde a concepção até a mensuração de resultados.

Ao produzir conteúdo pautando-se nas conversas e tópicos das redes sociais, existe uma certa “garantia” de que esta mesma audiência acabará consumindo o conteúdo produzido, sendo de uma marca, artista ou produto, formando um processo cíclico de consumo e produção.

 

Conclusão

Cada vez mais, a internet se consolida como a principal ponte entre consumidores e empresas, artistas e fãs, recrutadores e profissionais. Estas constantes – e cada vez mais rápidas – mudanças estabelecem desafios e diferentes maneiras de se posicionar perante o mercado, exigindo características e habilidades progressivamente aguçadas para o timing, criatividade e capacidade de adaptação.

Baseando-se nos casos apresentados neste artigo, podemos elencar três fatores principais que devem ser levados em conta para profissionais que lidam diretamente com a produção de conteúdo:

1. Escute ativamente

As redes sociais são uma poderosa plataforma de relacionamento com seu público de interesse. Sobretudo, para escutá-lo e identificar oportunidades e insights para geração de conteúdo – o que estende-se também para a inovação de produtos, campanhas e até ideias de negócio. Vale observar que é um processo cíclico, que inicia-se na mensuração ao invés de criação:

2. Tudo é oportunidade

“Elas fizeram essa música e decidiram fazer esse clipe comigo. O que ajudou meu nome a chegar à Katy Perry foi isso, acho que foi realmente uma conversa entre a Nicki Minaj e ela”, arrisca Gretchen em entrevista para o G1.

Não se limite à percepção como público consumidor de conteúdo, mas também vislumbre as tendências, conversas, influenciadores e pautas como oportunidades para seu negócio. É exatamente o que aconteceu no caso de Gretchen – o que poderia se limitar a uma curiosidade da rapper Minaj, transformou-se um dos vídeos mais comentados de 2017.

3. Timing é tudo!

O principal ingrediente do sucesso é identificar a onda no momento em que ela está se formando. Ana Maria e Supla encontraram-se no MaisVocê apenas uma semana após as piadas pipocarem na internet. Os tópicos surgem, crescem e desaparecem em uma velocidade impressionanteO desafio é criar, produzir e publicar os conteúdos enquanto ainda é possível surfar – e se destacar – nessa onda.

Ana Maria Braga.

Katy Perry.

Gretchen.

Três nomes totalmente desconexos. Elas podem ter personalidades, funções e públicos totalmente diferentes, mas uma coisa possuem como denominador comum:

Escutaram as redes sociais como ninguém. E a partir disso, aproveitam oportunidades, amplificam resultados e geram negócios até então impensáveis.

Isabela Rossi é Social Media & Digital Marketing na Equinix e já ganhou alguns prêmios na carreira, concedidos pela Faculdade Cásper Líbero e pela Associação Brasileira de Relações Públicas (ABRP). 

http://adnews.com.br/adarticles/mais-do-que-nunca-internet-esta-mudando-forma-como-produzimos-consumimos-e-promovemos-conteudo.html

Anúncios