Tags

, , ,

24 de setembro de 2015 · Atualizado às 14h58

//

//

Aconteceu ontem (23) o primeiro youPIX CON, evento do site homônimo sobre conteúdo para o mercado digital. E nos dois palcos do MIS onde se concentraram as palestras, algumas questões chaves foram levantadas diversas vezes. Uma delas, inclusive, foi tema para um painel. Afinal, quem não quer saber “a fórmula da inovação”? Para falar dessa receita poderosa, o youPIX trouxe Washington Theotonio, Diretor de Inovação em Comunicação da Globo.

O executivo levou o nome do painel a sério e, bem ao estilo químico de Walter White, apresentou sua fórmula de inovação dentro da emissora: (E/C+D)S. Não entendeu? A gente explica.

O E, significa Errar. Para Washington, temos que aceitar o erro como parte da produção de conteúdo. “É preciso coragem para perceber que tudo que você planejou foi para o lixo e que se deve recomeçar”.

Parece simples, mas citar o erro em empresas como a Globo é muito difícil. Ele contou que muitas vezes foi visto como louco ao falar da importância do erro na empresa. Mas sempre ressaltou que errar, controlado e para acertar, devem estar enraizados em um planejamento de inovação.

Inovar, palavra que, segundo ele, não deve se restringir apenas a empresas de garagem. “Startup é toda empresa que decide inovar e mudar um negócio já consolidado”.

O diretor se lembrou de empresas que alcançaram o sucesso depois de muitos erros. O conhecido site TripAdivisor, por exemplo, foi criado no formato be to be. Ao perceber o fracasso, o fundador mudou drasticamente seu produto, levando-o ao topo da lista de portais de viagens do mundo.

Do erro somos levados ao segundo símbolo da tabela periódica de Washington, o C, de compartilhar. Afinal, de que serve o erro se você não divide o impasse com outras pessoas? Atingir a solução é sempre mais fácil quando várias cabeças pensam juntas. Compartilhar ideias e inovações pode torna-las melhores e mais eficientes.

Compartilhar é importante, mas pode ser ineficaz se limitado apenas a pessoas que tenham a mesma perspectiva que você. É por isso que o D é parte fundamental da fórmula da inovação. Diversificar, chocar ideias com outras opiniões e visões de mundo traz muito mais densidade ao debate.

Washington se lembrou de cases como o aplicativo Be My Eyes, no qual usuários “emprestam” seus olhos a cegos, e ressaltou a importância dessa interação com outras realidades.

Assim, chegamos ao S. Afinal, de que adianta ter a fórmula da inovação sem “Seguidores”? Neste ponto, o diretor citou Simon Sinek, autor do best-seller “Por quê? Como grandes líderes inspiram ação”. Trazendo a ordem do Por que, Como e O que, ele indicou a importância dos processos mentais (racional e emocional) para não apenas comunicar, mas inspirar os consumidores de conteúdo.

“Se a gente faz isso no nosso trabalho e em nossas vidas, abrimos muito mais o horizonte da inovação”.

Luana Scalla

http://www.adnews.com.br/negocios/diretor-da-globo-apresenta-sua-formula-da-inovacao-no-youpix-con

Anúncios