Tags

, , , , , , , , , , , , , ,

Estátua da Mafalda em San Telmo, Buenos Aires

Estátua da Mafalda em San Telmo, Buenos Aires, é uma das mais fotografadas da cidade

Buenos Aires – Liderados pela icônica Mafalda, um dos mais celebres personagens do artista argentino Quino, o projeto ”Paseo de la Historieta” levará dez esculturas inspiradas nas tirinhas das HQ’s às ruas da capital portenha, uma ideia que, segundo o desenhista Manuel García Ferré, busca legitimar o país como um ”exportador de humor”.

Seguindo o mesmo exemplo de outras capitais que ganharam visibilidade internacional através de personagens dos quadrinhos, como Bruxelas fez com Tintim, Buenos Aires dá continuidade a sua calçada da HQ. A primeira, instalada em 2009, é justamente a Mafalda, mas outras já estão fazendo o mesmo sucesso.

”O êxito da escultura de Mafalda, colocada no marco das celebrações pelo bicentenário da independência argentina, nos fez pensar em fazer o mesmo com outros personagens reconhecidos e que valia a pena fazer uma espécie de ”calçada””, declarou à Agência Efe Paula Uhalde, coordenadora da Área de Construção Cidadã de Buenos Aires.

A escultura da esperta e irreverente menina criada por Quino, situada no bairro portenho de São Telmo, é uma das mais fotografadas da cidade, o que fez com que o projeto ficasse no entorno dessa escultura e do recente Museu do Humor, construído em Puerto Madero.

Desta forma, o astuto Isidoro Cañones, um clássico personagem de Dante Quinterno, foi fixado no final do mês de julho nessa mesma rua, um fato que deu início ao percurso que continuará nas próximas semanas com o personagem Largirucho, de Manuel García Ferré, um desenhista espanhol estabelecido na Argentina.

”Largirucho é um personagem muito portenho, que ganhou fama muito por sua bondade. Ele estará esculpido de pé e com olhar fixo. A ideia é fazer com que pareça que ele esteja falando”, adiantou García Ferré à Agência Efe.

Depois de Mafalda, Isidoro e Largirucho, o percurso será reforçado pelas esculturas de Matías, de Fernando Sendra; Don Fulgencio, de Lino Palacio; Gaturro, de Cristian Dzwonik ”Nik”; as Meninas Divito, de Guillermo Divito; o ”Louco” Chávez, de Carlos Trilho e Horacio Altuna; Clemente, de Carlos Loiseau ”Caloi”; e o índio Patoruzú, também de Dante Quinterno.

”Sentimos que estes personagens refletem os valores e a idiossincrasia do povo argentino”, manifestou Paula Uhalde, que detalhou que a escolha dos personagens foi feita em colaboração com o conselho de assessores do Museu do Humor portenho, formado por cinco grandes desenhistas, entre eles Quino e García Ferré.

Para o desenhista hispânico-argentino esta iniciativa representa a importância das histórias em quadrinhos na Argentina, um país que não só é ”exportador de jogadores, mas também de humor”.

As esculturas de Mafalda, de Isidoro e de Largirucho foram feitas por um escultor local, Pablo Irrgang, que se transformou em um verdadeiro ”intérprete dos quadrinhos”. Segundo o escultor, o mais difícil foi encontrar ”a pose exata”.

”Fui buscando dentro das próprias histórias a pose mais característica, a que mais representasse o personagem”, lembrou o artista, que esculpiu Mafalda sentada em um banco.

Nestas esculturas, Irrgang usou resina e quartzo, com reforços internos de ferro, para poder suportar o desgaste de milhares de turistas. No caso de Mafalda, a escultura parece estar intacta mesmo após três anos de exposição.

”Há personagens que são dos tempos de nossos pais e avôs. Mesmo as crianças que não conhecem, se aproximam e possuem interesse em conhecer. É um dos objetivos do projeto, essa troca entre gerações”, conclui Paula Uhalde

http://exame.abril.com.br/estilo-de-vida/livros/noticias/icones-das-hqs-vao-as-ruas-em-buenos-aires?page=2

Anúncios