Tags

, , , , , , , , ,

Durante a primeira edição do Digitailing – Fórum Internacional de Varejo Digital, que aconteceu nesta terça-feira (23/8) em São Paulo, especialistas nacionais e internacionais se reuniram para apontar as principais tendências – e falhas – do e-commerce no Brasil.

Segundo dados divulgados no evento, o país possui hoje 74 milhões de internautas, sendo que 96% deles já realizaram compras pela internet. Apesar do alto índice, algumas falhas apontadas pelo consumidor ainda atrapalham as transações comerciais on-line.

Entre as principais razões para não comprar pela internet, apontadas pelo estudo “Neoconsumidor 2011”, realizado pela realizada pela GS&MD – Gouvêa de Souza com apoio do Grupo Ebeltoft, está a o receio de não receber o produto. A pesquisa apontou que 41% dos internautas não compram pela internet com medo de nunca receberem a mercadoria.

Para evitar este transtorno, German Quiroga, CEO da empresa Nova Pontocom, empresa brasileira de comércio eletrônico criada a partir da associação entre Grupo Pão de Açúcar e Casas Bahia, conta que, no ano passado, a companhia encerrou suas vendas com promessa de entrega para o Natal no dia 17 de dezembro. “Abrimos mão dos melhores dias de venda do fim de ano para evitar problemas com atraso de entrega. Existe algo mais frustrante para um consumidor do que comprar um presente para uma pessoa querida e não poder entregar?”, disse. Para Quiroga, a logística é o maior desafio do e-commerce brasileiro.

Já para Daniel Couto, gerente na América do Sul da Hybris, empresa especializada no desenvolvimento de softwares e soluções de marketing digital, mais do que cuidar da logística da mercadoria, as companhias nacionais devem testar diversos canais de compra.

“O consumo deixou de ser linear. O cliente pode receber um flyer de uma empresa na rua, entrar no seu site para conferir seus preços e promoções, mas finalizar a compra em uma loja física. Por isso, é preciso padronizar a linguagem de todos os canais de vendas. A boa notícia é que pesquisas apontam que um consumidor ‘multicanal’ consome até quatro vezes mais do que um ‘monocanal’. Então, é mais do que válido fazer o investimento”, afirmou.

Futuro

Durante o fórum, a rede Magazine Luiza anunciou que irá lançar o Magazine Você, uma espécie de loja eletrônica por meio da qual usuários do Facebook e do Orkut poderão montar uma “vitrine” e vender os produtos da loja. De acordo com Frederico Trajano, diretor de marketing e vendas da rede varejista, os “vendedores” ganharão entre 2,5% e 4,5% do valor do produto.

Aos palestrantes internacionais que compareceram ao Digitailing coube apontar as principais tendências do e-commerce no mundo, modelo que deve ser seguido pelo Brasil nos próximos anos. Anders Borde, co-fundador e diretor da Telenor, especializada no treinamento mobile de pessoas, o futuro do e-commerce está no celular.

“Os aparelhos estão no bolso de todas as pessoas, possibilitando a compra de qualquer coisa, a qualquer hora, em qualquer lugar”, apontou. Para finalizar sua apresentação, Borde mostrou o vídeo de divulgação das vitrines virtuais que a marca Tesco instalou nas estações de metrô da Coreia do Sul para vender seus produtos enquanto as pessoas aguardam os trens. Assista abaixo (em inglês):

Revista PEGN

Anúncios